"Nestas impressões sem nexo, nem desejo de nexo, narro indiferentemente a minha autobiografia sem fatos, a minha historia sem vida. São as minhas confissões, e, se nelas nada digo, é que nada tenho que dizer." Bernardo Soares

Aviso das Imagens

P.S. informo que todas as imagens aqui postadas foram retiradas da net, caso sejam de sua autoria por favor informe que darei os devidos créditos e caso não deseje a postagem a mesma será retirada.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

o silêncio, sentimentos e o querer....

Disseram-me que tenho que aprender a não falar.
Não falar de amor?
Não falar de sentimentos?
Não falar do sinto por você?
Não querer me expressar para você?
Terei de aprender a deixar permanecer o silêncio, os versos ausentes.
Dever ser bom ficar em silêncio
Deixar o amor governar na calma e sossego....
È a lembrança, a nostalgia da saudade que homilia assim, sem ruídos...
Neste silenciar em que eu desvendo meus pensamentos e sentimentos,
noto o quanto é bom ficar junto a ti. O quanto me enganei achando que não sinto falta e superei.
Porque teima e fugir? Porque corre assim?
Não consigo negar...
Ainda estás em minha mente, em meu corpo, em meu coração.
Coração, esse músculo burro...
Que teima em guardar em seu interior sentimentos,
amores, paixões e no seu silêncio padece.
Ás vezes acelerado em sua arritmia, outras apertado por saudade,
e na maioria das vezes suspirando de paixão.
Silêncio nas palavras...
Mas em meu coração e olhos pode-se traduzir tudo que as palavras não informam.
Será que o silêncio me bastará?
Será que o silêncio nos bastará?
Mesmo no silêncio te digo de outras formas o que quero...
A alma no silêncio das palavras... mas não nos sentimentos.
E deixo os meus rastros, para que venha ao encalço de seus desejos, mesmo que sorrateiramente, na calada do anoitecer, desvendando em cada suspiro, em cada beijo, em casa toque minha ânsia de luxuria.
E em cada movimento meu em silêncio, expresso a você na intenção que perceba que é seu corpo que almejo, que quero, que desejo, na loucura ardente dos meus sentimentos.



...“E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.”...

2 comentários:

Insanidade Diária disse...

Realmente o coração é um músculo burro e geralmente não obedece aos comandos do cérebro !
Parabéns pelo blog sua linda!

Beijos

Agamenon disse...

Por que fugimos tanto assim? Por que invertemos os polos, mudamos a direção em que estávamos? Pura burrice. Ninguém é melhor nem mais que ninguém. O amor é algo tão simples e a gente complicou tudo. Muitos medos, muitos receios. Jogamos fora o que mais precisávamos. Ainda há tempo de voltar lá onde o jogamos fora e pegá-lo de volta. Alimentá-lo novamente com outros motivos e fazer dele nosso mais verdadeiro amigo!!!