"Nestas impressões sem nexo, nem desejo de nexo, narro indiferentemente a minha autobiografia sem fatos, a minha historia sem vida. São as minhas confissões, e, se nelas nada digo, é que nada tenho que dizer." Bernardo Soares

Aviso das Imagens

P.S. informo que todas as imagens aqui postadas foram retiradas da net, caso sejam de sua autoria por favor informe que darei os devidos créditos e caso não deseje a postagem a mesma será retirada.

sábado, 13 de março de 2010


“Não me prendo a nada que me defina.
Sou companhia, mas posso ser solidão.
Tranqüilidade e inconstância, pedra e coração.
Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono.
Música alta e silêncio.
Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser.
Não me limito, não sou cruel comigo!
Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer.”

(Clarice Lispector)

Um comentário:

Robertinha disse...

" Não sou escravo de ninguém, ninguém é senhor do eu domínio, sei o que devo defender"...
" Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher"...
" Sou minha, só minha e não de quem quiser, sou deus, do adeus oh meu amor"
Creio que Clarisse quiz expressar essa letra de Renato Russo... Adoroooooo... As vezes me expresso assim, com o meu jeito... Posso ser tudo e nada... Depende pra quem... (Roberta)