"Nestas impressões sem nexo, nem desejo de nexo, narro indiferentemente a minha autobiografia sem fatos, a minha historia sem vida. São as minhas confissões, e, se nelas nada digo, é que nada tenho que dizer." Bernardo Soares

Aviso das Imagens

P.S. informo que todas as imagens aqui postadas foram retiradas da net, caso sejam de sua autoria por favor informe que darei os devidos créditos e caso não deseje a postagem a mesma será retirada.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

conversando I

“Qual o segredo da felicidade?

Será preciso ficar só pra se viver?
Qual o sentido da realidade?
Será preciso ficar só pra se viver?”
                                             (Kid Abelha – Grande Hotel)

Respondo veementemente que não!

E ele me pergunta:
“Não temos a chance de machucar um ao outro?”
Parei e pensei para responder.
“ Machucar podemos nos machucar com qualquer pessoa. Com qualquer fato, até mesmo ao respirar...”
Como seres humanos estamos sujeitos aos mais diversos sentimentos.
Devemos viver sem medo do que possa acontecer. Não tempos o poder de controlar certos acontecimentos ou sentimos. Acredito até que se tentarmos controlar os acontecimentos não será uma vida de verdade.
Um coração machucado por fatos anteriores, uma alma ferida sempre terá receio de tentar se entregar novamente.
Mas guarda-se não resolve nada. Outros sentimentos podem nos machucar. E o pior é que serão sentimentos oriundos da falta de viver.... e ainda por cima fúnebres.
Não podemos ter certeza que não haverá quedas, mas com certeza muitas alegrias e acertos existirão.
Ninguém está isento da dor, do tombo, do sofrer....
Mas isso vale a pena se levar em consideração o quanto é bom viver, sentir e se entregar ao luxo dos sentimentos.
Ás vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança.
Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos. E assim... se jogue...
Você tem um rosto feito pra sorrir, você sabe...
Uma vergonha se você vier a desperdiçar isso.
Sou romântica, crédula e talvez insensata.
Idealizo, gosto de pequenos gestos, goste de estar junto, e acredito no que me é dito...
Insensata ?
Posso ser por me entregar fácil aos sentimentos e não me apegar as coisas ruins que cruzou o passado.
Insensata?
Por acreditar que podemos sim nos completar e ser o que ambos procuram.
Insensata ?
Sim por querer ainda estar com você e acreditar em você.
Cada qual se entrega ao seu modo. Isso é indiferente, desde que seja verdadeiro.
Outro coração, sucumbo em batidas e assim desejo, mesmo com feridas já cicatrizadas, viver novamente, continuar aquilo que foi interrompido.
Acredite... vale a pena mudar, alterar certos conceitos para poder viver...

“MUDANÇA
( Clarisse Lispector).

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.....
...Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
...Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!....”

Um comentário:

Edson Marques disse...

Que bom que você gostou do meu poema Mude! Porém, ao contrário do que você diz, não é de Clarice Lispector. Assim como você, muita gente supõe erradamente que esse poema é de Clarice.
Mas não é.
No meu blog publico todas as "provas" de que sou o autor:
1. Registro do poema Mude na Biblioteca Nacional em agosto de 2003.
2. Livro Mude, editado pela Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra.
3. CD Filtro Solar, Pedro Bial, onde na faixa 4 o Mude foi publicado (contrato que fiz com a Sony Music). Veja interpretação original de Simone Spoladore: http://www.youtube.com/watch_popup?v=AZSdGQ-MrXY&rel=0
4. Veja também o vídeo Mude, completo, que foi comercial da Fiat: http://www.youtube.com/watch?v=-IwFkGLRKps
Enfim, o que o escritor mais gosta é disso mesmo: ver sua obra reconhecida -- ainda que com autoria "transferida" para Clarice Lispector...
Espero que, mesmo agora sabendo que não é de Clarice, você mantenha o texto em seu blog. E, se puder, corrija a autoria.
Mude,
Mas comece devagar,
Porque a direção é mais importante que a velocidade.
Veja o poema na íntegra em http://www.Mude.blogspot.com
Abraços!
http://Facebook.com/EdsonMarquesMude
http://twitter.com/EdsonMarques
www.EdsonMarques.com